Chichén Itzá México

Chichén Itzá: como chegar, o que significa, história e monumentos

Não tem como ir ao México e não conhecer uma das Sete Maravilhas do Mundo, o incrível sítio arqueológico de Chichén Itzá. São diversas as formas de chegar nessa impressionante cidade maias e mergulhar na história, significado e importância desse poderoso local para as origens da cultura mexicana.

Veja nesse guia sobre Chichén Itzá, tudo o que você precisa saber para aproveitar ao máximo sua visita!

Onde fica Chichén Itzá

Chichén Itzá está localizado a 200 quilômetros de Cancun, no estado de Yucatán, entre Valladolid e Mérida, no México. O acesso é feito pela estrada número 180, que liga Cancun a Merida. 


Chichén Itzá onde fica

Embora Chichén Itzá faça parte do município de Tinum, a cidade de Valladolid, a 40 km de distância, é um melhor ponto base, devido as suas outras atrações turísticas. 

Como chegar em Chichén Itzá México

Como Chichén Itzá está localizada bem na parte central da Península de Yucatán, é comum as pessoas acessarem ela de diferentes cidades em um raio de até 3 horas de distância.

Existem várias formas de fazer esse bate e volta, por conta própria, de ônibus ou carro, ou por meio de agências de turismo. 

Confira abaixo algumas das cidades que você pode partir em direção a Chichén Itzá: 

Curte as minhas dicas? Segue lá no Insta: @olhosdeturista

De Cancun

de Cancun a Chichén Itzá México
  • Ônibus: através da empresa ADO, você pode ir a Chichén Itzá de ônibus. O preço da passagem sai por volta de 350 pesos o trajeto, totalizando 700 pesos ida e volta. No entanto, se você comprar com antecedência, no terminal ou online, você pode conseguir um desconto de até 30% do valor. Os ônibus partem todos os dias às 8h45 e regressam às 16h30. O tempo de viagem é de aproximadamente 3 horas. 
    Os ônibus partem todos os dias às 8h45 e regressam às 16h30. O tempo de viagem é de aproximadamente 3 horas.
    Antes de se programar, confirme essas informações no site oficial da ADO, já que eles podem mudar valores e horários sem aviso prévio.  
  • Carro: muitas pessoas optam por alugar um carro em Cancun e fazer bate e volta de um dia. A maior vantagem dessa opção é poder driblar a multidão que vai a Chichén Itzá, chegando antes de todos. Além de poder fazer paradas em cenotes da região antes de voltar ao litoral.
    Entretanto, não deixe de considerar os custos da gasolina, dos pedágios* e estacionamento (80 pesos). 
    * Se for pela estrada 180 D deverá pagar 2 pedágios, um de 328 pesos e outro de 95 pesos.
  • Passeios com agências: fechar um passeio é sem dúvidas a forma mais prática, já que você não deverá se preocupar com nada. Existem pacotes que incluem visita a algum cenote e outros que incluem cenote e visita a cidade de Valladolid, todos com almoço incluso.  Veja todas as opções clicando aqui.
    O ruim desses pacotes, é que você acaba chegando junto com as multidões e pegando os lugares mais cheios. 

Vai para Cancun? Então leia também: O que fazer em Cancun? Roteiro de 7 dias

De Playa del Carmen

de Playa del Carmen a Chichén Itzá
  • Ônibus: também através da ADO é possível ir do centro de Playa del Carmen até a entrada de Chichén Itzá. O preço da passagem é semelhante a Cancun, por volta de 350 pesos o trajeto, podendo sair mais barato se você comprar com antecedência. 
    Há saídas todos os dias às 8h e os ônibus regressam às 16h30.
  • De carro: se optar por alugar um carro em Playa del Carmen, você tem duas opções de rotas: uma estrada com pedágios que chegarão a 500 pesos ida e volta ou a estrada livre, que leva mais tempo para chegar, mas não paga pedágio. 
    Para pegar a estrada livre, você deverá ir até Tulum, e de lá pegar a estrada para Chichén Itzá.
  • Passeios com agências: se você não se importa com a correria dos passeios de agências, essa é uma opção bem prática. Eles te buscam no seu hotel, te levam de volta ao final do passeio e ainda tem o guia. Saindo de Playa del Carmen, você pode fechar passeios que incluem um cenote ou que incluem um cenote + visita a cidade de Valladolid.

Da Cidade do México

de Cidade do México a Chichén Itzá

Chichén Itzá está localizada a quase 1.500 quilômetros a leste da Cidade do México, por isso a melhor forma de ir para Chichén Itzá, a partir da capital mexicana, é pegar um voo para Mérida ou para Cancún.

Cancun fica a 200km de lá e Mérida a 120km. Os vôos locais diretos para Chichén Itzá partem de ambas as cidades em pequenas aeronaves. De Cancun, o voo dura aproximadamente uma hora.

Descubra também o que fazer na Cidade do México!

Alternativa: se hospede em Valladolid ou Merida

A maioria das pessoas fazem bate e volta a Chichén Itzá, seja de ônibus, carro ou através de passeios com agências. Contudo, você já pensou em ficar alguns dias na região e conhecer melhor o incrível estado de Yucatan?

Yucatan tem o seu próprio ritmo, hábitos e cultura, por isso se você tiver tempo na sua viagem, vale a pena passar alguns dias por lá e explorar a região. 

As duas principais cidades da redondeza são Valladolid (a 40km de distância) e Merida (a 120km de distância). Ambas bem legais e cheias de cenotes para conhecer. 

Além disso, você ficará mais próximo de Chichén Itzá e poderá chegar no sítio antes da galera que parte das praias da Riviera Maia. Veja como chegar:

De Valladolid a Chichén Itzá

de Valladolid a Chichén Itzá
  • Colectivo: são como vans, que custam mais barato do que os ônibus convencionais, mas que são mais simples e menos confortáveis. Essa opção custa 35 pesos e leva 40 minutos. Tem colectivos saindo a cada meia hora, a partir das 7h.
  • Ônibus: lá também tem a opção de pegar um ônibus da ADO, que saem do terminal todos os dias às 9h50 e 10h15 e regressa às 16h30. Eles custam por volta de 130 pesos o trecho e levam 50 minutos para chegar.
  • Scooter: é comum para quem se hospeda em Valladolid alugar scooter, já que aluguel de carro lá não é muito comum. Existem 3 opções de rotas, que levam de 40 minutos a 1 hora de viagem. Uma delas tem pedágio, assim, a opção mais barata e rápida é pela Carretera Costera del Golfo/Valladolid – Merida/México 180.
  • Passeios com agência: uma das vantagens de se hospedar em Valladolid é poder ir a Chichén Itzá por conta própria, mas se mesmo assim você ainda prefere fechar passeios, existem opções na cidade que te levam até lá. 

Confira roteiro de 3 dias em Valladolid!

De Merida a Chichén Itzá

de Merida a Chichén Itzá México
  • Ônibus: os ônibus da ADO tem partidas diárias às 6h30, 7h30, 8h15 e 9h15 e regressam às 16h30. O preço da passagem sai por volta de 200 pesos o trajeto, mas se você comprar com antecedência pode encontrar com até 30% de desconto. A viagem dura cerca de 2 horas.
    Outra opção são os ônibus que saem do terminal TAME, onde você pode encontrar passagens mais baratas, por volta de 70 pesos. Contudo, a viagem dura um pouco mais, cerca de 2 horas e meia. 
  • Carro: se quiser alugar um carro em Merida, você tem duas opções de rotas: ir direto e pagar 2 pedágios (um de 190 pesos, outro de 95 pesos) ou ir até Valladolid e de lá para Chichén Itzá, nesse caso não haverá pedágio. 

O que significa “Chichén Itzá”?

Na lingua maia, “Chi” significa “boca”, “Chen” significa “poço” e “Itzá” é o nome do povo Itzá, uma das tribos maias que viveu em Chichen Itzá. Ou seja, Chichén Itzá significa “boca do poço de Itza”. Fazendo referência ao cenote sagrado da cidade.

Como é o clima em Chichén Itzá?

O clima de Chichén Itzá é quente e úmido o ano todo. Durante o verão, de Junho a Setembro, há recorrência de tempestades tropicais, além das temperaturas serem mais elevadas.

El Castillo México

Por isso a melhor temporada para conhecer Chichén Itzá é entre Novembro e Fevereiro, quando o clima é mais ameno.

Quanto custa a entrada?

Para entrar em Chichén Itzá, é necessário pagar duas coisas: um valor cobrado pelo Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), cujo valor é de 75 pesos e o outro fixado pelo governo do estado de Yucatán, que custa 406 pesos para estrangeiros. No total, o acesso fica a 481 pesos.

A bilheteria e o parque funcionam todos os dias das 8h às 16h.

História de Chichén Itzá

Chichen Itza foi uma das maiores e mais importantes cidades maias de Yucatán. Através de seus quase mil anos de história, diferentes povos e gerações viveram na cidade. 

El Castillo Chichén Itzá México

Ao longo dos anos eles tiveram que enfrentar diferentes crises, algumas que envolveram mudanças de domínio e liderança. Isso porque Chichén Itzá era um importante centro de poder político e concentrava enormes riquezas e redes comerciais. Não à toa, os maias dominavam o comércio da região.

Não sabe-se ao certo porque os maias abandonaram a cidade ou mesmo porque o poder político e econômico da civilização maia desapareceu posteriormente. No entanto, existem teorias que relacionam o colapso maia com um extremo período de secas.

História de Chichén Itzá

De qualquer forma, anos depois chegaram os espanhóis, que dominaram a área e passaram a estudá-la. Estudos que não terminaram até hoje e ainda atraem muitos arqueólogos, já que ainda há muito o que descobrir sobre essa civilização incrível e misteriosa.

Por hora, como meros visitantes, podemos aprender um pouco e estudar sobre os vários monumentos de Chichén Itzá, que muito contam sobre a história e avanços científicos da cultura maia, especialmente em relação a astronomia, arquitetura e matemática. 

Monumentos de Chichén Itzá

Aos chegar em Chichén Itzá você irá se deparar com vários monumentos com arquiteturas incríveis, mas o mais incrível por trás dessas antigas pedras, é a história.

Mapa Chichén itzá México

Quando você chega no sítio arqueológico, vários guias irão te abordar para oferecer os serviços deles. Contratar esses serviços é opcional, mas eu particularmente super recomendo, já que a história de Chichén Itzá é bem importante e além do mais, você estará em uma das Sete Maravilhas do Mundo. 

Se não quiser ou não puder contratar um guia, procure ler um pouco sobre a história antes de visitar o sítio arqueológico. Começando com a leitura abaixo, em que falo um pouco sobre cada monumento:

El Castillo de Chichén Itzá

O Castillo (castelo) é a mais famosa e importante pirâmide de Chichén Itzá. A importância é tamanha, que ela é a pirâmide que representa Chichén Itzá como uma das Sete Maravilhas do Mundo e também a mais usada nos cartões postais. 

Ruína maia Templo Kukultan México

Nomeada originalmente pelos maias como Templo Kukulcán, essa pirâmide tem 30 metros de altura e foi construída basicamente de calcário.

Ela foi feita em homenagem a Kukultán, o deus serpente emplumada da cultura maia. Aliás, a base do templo tem esculturas de cabeças de serpentes e duas vezes por ano (20 de março e 22 de setembro), quando o Sol cruza o equador celeste*, uma sombra é projetada nas bordas dos degraus, simulando o corpo da serpente, que é completado pela escultura da cabeça. Assim, aparentando uma serpente descendo a pirâmide.

Serpente do El Castillo em Chichén Itzá

Esse evento foi planejado pelos maias, graças ao seu profundo conhecimento de astronomia, arquitetura e matemática. Apenas mais uma demonstração da inteligência maia que você irá aprender nessa visita.

Atualmente a pirâmide está cercada, já que a subida é proibida, com o objetivo de preservá-la.

* Esse evento astronomico chama-se equinócio.

Templo del Osario

Essa construção, é muito semelhante ao El Castillo, como se fosse uma réplica menor dele, com aproximadamente 10 metros de altura. Entretanto, diferente do El Castillo, o Osario trata-se de uma tumba. 

Templo del Osario em Chichén itzá México

No topo desse templo há um santuário com diversas imagens e símbolos maias, como o símbolo da serpente emplumada. 

Existe uma lenda que diz que embaixo dele passa um túnel de vários quilômetros que o liga a outras cidades maias. 

Observatorio El Caracol

No sul do sítio arqueológico estão os restos de um monumento chamado El Caracol, que ganhou esse nome graças ao seu formato em espiral. 

Observador El Caracol sítio arqueológico maia

Ele tem uma escada, que leva para seu topo e por isso acredita-se ser um observatório para o céu, onde eles analisavam e mapeavam o céu. Outra coisa que aumenta a crença nessa teoria, é que o topo dele fica acima da altura da vegetação, o que proporciona uma visão ampla do céu. 

Além da astrologia, o observatório El Caracol também era usado pelos maias para previsões e planejamento das colheitas e decisões sobre guerras e outros aspectos sociais. 

Casa de las Monjas

A Casa de las Monjas (casa das freiras) recebeu esse nome pelos espanhóis, devido a semelhança dessa estrutura com um convento cristão. No entanto, nada tem a ver com freiras mais, que não existiam.

Casa de las Monjas Chichén Itzá México

Acredita-se que tenha sido a residência de algum homem poderoso, como um sacerdote ou chefe de governo.

Cenote e Templo Xtoloc

O Cenote e o Templo Xtoloc ficam um de frente para o outro e tudo indica que eram usados para cerimônias religiosas, já que dentro do templo há um altar e pilares com figuras de sacerdotes esculpidas.

Cenote Xtoloc noMéxico

O nome “Xtoloc” significa “iguana”, que até hoje vivem nessa e em outras regiões do México. 

Templo de los Guerreros

O Templo de Los Guerreros é uma das estruturas mais importantes e bonitas de Chichén Itzá e teoricamente foi dedicada aos guerreiros maias. 

Templo de los Guerreros ruína maia

Sua estrutura é dividida em vários níveis, que costumavam antes ser o Templo do Chac Mool, com representações de serpentes emplumadas, guerreiros e padres.

Plaza de las Mil Columnas

Complementando o Templo de los Guerreros, a Plaza de las Mil Columnas é um grande pátio com diversas colunas espalhadas, que simbolizam os guerreiros.

Plaza de las Mil Columnas Chichén Itzá

Embora o nome faça referência a mil colunas, na realidade existem 200 colunas.

Cenote Sagrado de Chichén itzá

Para entender a importância do Cenote Sagrado para Chichén Itzá, é necessário entender o que são os cenotes e qual a importância deles para os maias. 

Cenote Sagrado em Chichén Itzá

Existem vários tipos de cenotes, mas simplificando, eles são uma espécie de lagos subterrâneos que vão se formando ao longo dos anos. 

A descoberta dos cenotes pelos maias foi essencial para a sobrevivência e evolução deles, já que não haviam rios próximos a selva. 

Os maias de Chichén Itzá usavam a maioria dos cenotes como fonte de água, mas esse não era o caso do Cenote Sagrado, que acabou sendo usado para rituais sagrados, como sacrifícios e adoração a Chaac, o deus maia da água e chuva. Esses sacrifícios eram feitos através de corpos e joias que eram jogados no cenote como oferenda para pedir a Chaac que enviasse água.

Cenote Sagrado Chichén Itzá México

Alguns estudos sugerem que esses sacrifícios eram feitos com voluntários da própria comunidade deles. Uma coisa é certa: a morte era vista de maneira diferente pelos maias e eles acreditavam que os cenotes eram uma porta de entrada para o submundo e o elo com a vida após a morte.

O Cenote Sagrado foi drenado algumas vezes e foram descobertas peças valiosas, restos humanos e animais.

Tzompantli

O Tzompantli ou Muro das Caveiras é uma estrutura em referência aos sacrifícios humanos, representados por figuras de caveiras esculpidas.

Tzompantli Chichén Itzá Sete Maravilhas do Mundo

Tudo indica que as vítimas de sacrifício eram os guerreiros inimigos, já que Tzompantli era o nome dado para um altar público onde eram colocadas as cabeças de guerreiros capturados, para agradecer aos deuses pela vitória no combate.

Para isso, os maias espetavam em paus afiliados as cabeças ainda sangrando dos inimigos.

Gran Juego de Pelota

O Juego de Pelota (jogo de bola) foi um importante elemento para a sociedade maia. 

Em suma, o jogo consiste em um confronto de duas equipes, em que se deve jogar a bola dentro de um aro de pedra a 7 metros de altura, arremessando com os quadris, cabeça, joelhos ou ombros.

Gran Juego de Pelota maia México

Esse jogo acontecia em um campo e era assistido em plataformas especiais pelos governantes, estudiosos e religiosos da cidade e pelo povo nas arquibancadas. 

No final, os jogadores da equipe campeã ou perdedora eram sacrificados, não se sabe ao certo qual dos lados acabava sacrificado, mas é certo que o resultado do jogo definia.

O Gran Juego de Pelotas de Chichén Itzá é a maior quadra de toda a Mesoamérica, com 120 metros de comprimento e 30 metros de largura. 

Dicas gerais sobre Chichén Itzá:

  • Chegue o mais cedo possível no sítio, para conseguir aproveitar ele um pouco antes da multidão. Deixe para tirar foto com o El Castillo assim que chegar;
  • Vá com sapatos confortáveis, você vai andar bastante;
  • Leve protetor solar, lá faz muito calor e quase não tem sombra;
  • Leve sua própria água, como faz muito calor, dá muita sede e lá dentro a água é bem cara;
  • Todos os dias acontece um show de luzes lá (valor extra) às 19h no outono e inverno e às 20h na primavera e no verão.

E aí gente, gostaram as dicas sobre Chichén Itzá?

Se tiver alguma dúvida, pode mandar um DM lá no insta @olhosdeturista, que eu te respondo rapidinho! Aproveita e dá um seguir para acompanhar minhas dicas e viagens em tempo real! ♥

Curtiu esse artigo e quer guardar o link para olhar de novo depois? Então salva a imagem abaixo no teu Pinterest e acesse esse artigo sempre que precisar!

Chichén Itzá: descubra tudo sobre essa Sete Maravilhas do Mundo, como chegar, história, significado e monumentos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima